GRUPOS HOMOGÊNEOS
Home   >  O que é?  >  Grupos Homogêneos
      É notório que o Brasil é um país de dimensões e diversidades continentais. O modo de produção, as condições de trabalho e o modo de vida continuam a ser o patamar para se entender o que acontece com a saúde da população. Contudo, esse processo não pode ser reduzido a um simples modelo de polarização entre desenvolvimento e subdesenvolvimento, riqueza e pobreza.

      Para analisar a situação da saúde do Brasil, devem ser consideradas variáveis como gênero, faixas etárias, acesso a bens e serviços, situação regional e, quando possível, a questão ambiental.

      A complexidade do processo demográfico, social e sanitário do país demanda que sejam consideradas, para cada quadro específico, a dinâmica e a complexidade, a diferenciação e a especificidade, atentando-se para a necessidade crescente de uma sintonia mais fina e de uma adequação localizada de diagnósticos para a formulação de políticas públicas equânimes.

      Diante deste cenário, seria arbitrário que o IDSUS realizasse uma classificação que considerasse apenas a ordem crescente ou decrescente para os mais de cinco mil municípios brasileiros. Assim, para avaliar o desempenho do sistema, a análise comparativa dos resultados do índice deve levar em consideração a existência de grupo de municípios com características similares. São os chamados: Grupos de Municípios Homogêneos.

      Assim, a formação dos Grupos Homogêneos, segundo as suas semelhanças, ocorreu por meio da utilização de três índices: o Índice de Desenvolvimento Socioeconômico (IDSE); o Índice de Condições de Saúde (ICS); e o Índice de Estrutura do Sistema de Saúde do Município (IESSM).

      Para calcular esses índices, foram utilizados indicadores simples cujos pesos foram dados pela metodologia de Análise de Componentes Principais (PCA). Posteriormente, os municípios foram separados em dois subconjuntos, que atendem ou não aos seguintes critérios: Índice de Estrutura do Sistema de Saúde do Município (IESSM) maior que 0,01 e capacidade de realizar duas ou mais internações por dia.

      Em seguida, estes dois subconjuntos foram submetidos à metodologia de Análise de Cluster pelo método K-means¹, para encontrar os grupos homogêneos de municípios passíveis de comparação. O resultado obtido foi a distribuição dos 5.563² municípios em seis grupos homogêneos, de acordo com a classificação recebida nos índices (IDSE, ICS e IESSM).