Indicador nº 3

Proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal, por local de residência da mãe

Conceituação

Percentual de nascidos vivos de mães residentes que fizeram sete ou mais consultas de pré-natal, em determinado município e período, em relação ao total de nascidos vivos de mães residentes no mesmo município e período.

Interpretação

Esse indicador mede a cobertura do atendimento pré-natal de gestantes, identificando situações de desigualdades e tendências que demandam ações e estudos específicos.
Contribui para a análise das condições de acesso da assistência pré-natal e qualidade em associação com outros indicadores, tais como taxa de mortalidade materna e infantil, incidência de sífilis congênita, entre outros.

 

Usos

Analisar variações geográficas e temporais das condições de acesso das gestantes à assistência pré-natal identificando tendências e situações de desigualdade que demandem ações e estudos específicos.
Contribuir na avaliação dos níveis de saúde e de desenvolvimento socioeconômico.
Subsidiar processos de planejamento, gestão e avaliação de políticas e ações de saúde direcionadas à atenção pré-natal, ao parto e ao puerpério.

Limitações

Há possibilidade de equívoco da gestante ao informar o número de consultas realizadas e, no caso de partos de gêmeos, pode ocorrer contagem cumulativa de mulheres.
A representatividade populacional do indicador é consequência da implantação do sistema de informação sobre nascidos vivos na região e do efetivo registro.

Há possibilidade de nascidos vivos que morrem logo após o nascimento serem declarados como natimortos, subenumerando o total de nascidos vivos.

Diferenças entre grupos populacionais dentro de uma mesma localidade não podem ser percebidas a partir da análise isolada do indicador. Por não discriminar o atendimento público e privado, não permite ver diferenças entre esses.

Fonte

Ministério da Saúde - Sistema de Informações de Nascidos Vivos (SINASC)

Método de cálculo

Número de nascidos vivos de mães residentes no município com 7 ou mais consultas de pré natal no período, dividido pelo número de nascidos vivos de mães residentes no municipio e período

Método de cálculo dos indicadores para pontuação de acréscimo:

Pontuação de Acréscimo 1
Número de nascidos vivos de mães residentes no município com 4 a 6 consultas de pré natal no período, dividido pelo número de nascidos vivos de mães residentes no municipio e período

Pontuação de Acréscimo 2
Número de nascidos vivos de mães residentes no município com 1 a 3 consultas de pré natal no período, dividido pelo número de nascidos vivos de mães residentes no municipio e período

Categorias sugeridas para análise

Unidade geográfica: Brasil, estados, regiões de saúde e municípios

Dados estatísticos e comentários

Proporção de nascidos vivos conforme número de consultas de pré-natal da mãe segundo residência nas regiões, Brasil, 2007 a 2009.

(*) Municípios de Referência = Grupo de Municípios de Referência para os parâmetros de acesso à atenção de média a alta complexidade. Esses são Grupos selecionados de municípios brasileiros que dispõem de uma estrutura mais completa de serviços de saúde de média e alta complexidade, ambulatorial e hospitalar, de forma a evitar o viés dos baixos resultados dos indicadores devido à deficiência de oferta desses serviços.

A cobertura média do Brasil em 2010 foi de 45,94% sendo a menor na região Sudeste (35,19%) e a maior na região Nordeste (62,78%).

Os grupos de municípios de referência apresentam menor percentual  de cobertura do que os municípios que não foram selecionados como referência. Isto pode ser devido ao fato de que esses municípios de referência são municípios com grande população, em geral mais desenvolvidos, que contam com estrutura mais completa de serviços de saúde de média e alta complexidade, ambulatorial e hospitalar; no entanto, não contam com muitas equipes de atenção básica.

Ano

2007

2008

2009

Número de consultas

Zero

1 a 3

4 a 6

7 ou mais

Zero

1 a 3

4 a 6

7 ou mais

Zero

1 a 3

4 a 6

7 ou
mais

Norte

4,88

16,07

47,48

31,57

4,43

16,14

48

31,42

4,21

15,73

46,37

33,69

Nordeste

2,35

11,18

45,89

40,58

2,09

10,71

45,25

41,96

2,27

10,53

44,36

42,84

Sudeste

1,23

4,9

23,97

69,9

1,23

4,62

23,18

70,96

1,32

4,7

22,8

71,18

Sul

1,09

4,71

21,99

72,2

1,08

4,52

20,81

73,6

1,26

4,59

20,42

73,73

Centro-Oeste

1,32

6,36

29,84

62,48

1,28

5,85

28,83

64,04

1,33

5,47

28,17

65,02

Brasil

1,95

8,09

33,34

56,62

1,82

7,81

32,7

57,68

1,91

7,68

31,91

58,5


Região

Triênio 2007 - 2009

Nenhuma consulta

De 1 a 3 consultas

De 4 a 6 consultas

7 ou mais consultas

Norte

4,51

15,98

47,29

32,22

Nordeste

2,24

10,81

45,17

41,79

Sudeste

1,26

4,74

23,32

70,68

Sul

1,14

4,61

21,07

73,18

Centro-Oeste

1,31

5,89

28,94

63,86

Brasil

1,9

7,86

32,65

57,6

Fonte: Ministério da Saúde/SVS - Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC)

As tabelas mostram o percentual de nascidos vivos em um determinado período, distribuídos conforme a quantidade de consultas de pré-natal realizadas pela mãe. A região que apresentou os melhores resultados de 2007 a 2009 foi a Sul, em que no triênio 2007-2009 73,18% das mães dos nascidos vivos realizaram sete ou mais consultas de pré-natal, com mais de 72% em cada ano.

As regiões Norte e Nordeste apresentam os piores índices. Entretanto, houve pequena melhora do percentual de mães que realizaram sete ou mais consultas de pré-natal, comparando-se os resultados de 2007 a 2009. Houve pequena diminuição também da proporção de mães que não realizou nenhuma consulta durante a gravidez.

Considerando o valor encontrado em todas as regiões e no país, é possível verificar que o parâmetro de 90% de mães com sete ou mais consultas de pré-natal representa uma primeira meta a ser superada.

Parâmetro do Indicador

90% das mães com sete ou mais consultas de pré-natal.

Pontuação do Indicador

Se o resultado for igual ou superior ao valor do parâmetro, a nota é 10.

Se o resultado for menor que o parâmetro, a nota será diretamente proporcional ao decréscimo do resultado em relação ao parâmetro.

A pontuação principal corresponde ao percentual de mães com sete ou mais consultas de pré-natal multiplicado por dez (10) dividido por 90%. Se resultado maior que 10, nota igual a 10.
Para as mães com menos de sete consultas de pré-natal, o município receberá uma pontuação que será somada à pontuação principal da seguinte forma:

  1.   A pontuação de Acréscimo 1 corresponde ao percentual de mães com menos de sete consultas de pré-natal multiplicado pelo percentual das mães com quatro a seis consultas e multiplicado por seis.

  2. A pontuação de Acréscimo 2 corresponde ao  Percentual de mães com menos de sete consultas de pré-natal multiplicado pelo percentual das mães com uma a três consultas e multiplicado por um.

Nota final é igual:
Pontuação principal somada  a Pontuação de Acréscimo 1 mais a Pontuação de Acréscimo 2.  Se resultado maior que 10, nota igual a 10